LOCAIS: Mansedes

(Peço desculpas por qualquer problema de formatação. Internet no computador não está colaborando, então tentei a sorte no celular. Um tiro no escuro!)
Postar Prelúdio;

image

Planejar cronograma de publicações;

image

Explicar como surgiu a ideia do livro;

image

Apresentar personagens Capítulo 01 (Parte01) ;

image

Contextualizar Cenário Capítulo 01 (Parte01);

image

————————————————————————-
A história estava pronta em minha cabeça e em algumas poucas folhas de background escrito a mão. Personagens criavam vida independente de minha vontade e até travavam diálogos entre si; fui acometido por um bombardeio de cenas chaves durante banhos, refeições, aulas, trabalho e conversas (por vezes taxado de maluco por exclamações inesperadas). Tudo se encaixa, embora faltasse o elemento de coesão; faltava a sapata, a base, a sustentação. Eu não tinha um local. Faltava-me Mansedes.

image

Meu primeiro contato com o enredo foi todo envolta de um cenário de RPG já consagrado, estabelecido e registrado; e tudo que eu não queria era pagar direitos autorais para publicar um livro (afinal, quem quer?).
Um dia, sentado no trabalho, rabiscava em uma folha em branco enquanto pensava incessantemente na necessidade de criar um ambiente para encaixar tudo aquilo que já estava transbordando das minhas ideias. Preguiçoso como sempre fui, rechaçava todos os pensamentos sobre criar um cenário inteiro desde o início. Situação política, econômica e social me arrepiavam só de cogitar o trabalho de criação. Determinar quadro militar? Deus, como eu queria fugir disso. Mas não havia escapatória: seria necessário criar. E assim foi feito. Os riscos em minha folha se transformaram na imagem acima e o primeiro passo fora dado.
Com as divisões físicas estabelecidas, a criatividade fluiu e as principais características foram definidas:

Mansedes é o último reino do continente e o mais próximo das terras estrangeiras;
Sua capital se chama Cidade de Ardir em honra à divindade que salvou o pequeno Ughar Uhran II (como comentado aqui); Extremamente rico em diversidades econômicas (extração de minérios ao norte, agricultura e pecuária fartas nas planícies centrais, viticultura ao sul e densa pescaria nos principais aquíferos);
Sua cultura é recém modificada após a absorção de elementos estrangeiros do Além-mar;
Faz fronteira com Condril e Cágeni que ainda mantêm a cultura tradicional do continente;

Após alguns dias de revisão e com a ajuda de uma linha do tempo, estruturei a história de Mansedes a partir dos acontecimentos de segregação continental. Com isto, foi necessário incluir alguns itens na figura inicial:

image

As relações de Mansedes com os reinos vizinhos estão abaladas devido sua política de protecionismo à recém adquirida cultura (tudo em nome da saúde do pequeno príncipe). Muralhas foram erguidas, laços comerciais desfeitos e qualquer tipo de comunicação desestimulada. Mansedes se declarara um pedaço do exterior em meio à terras continentais. Um grito de independência.
————————————————————————-
Amanhã, vocês poderão se situar pela primeira vez em um enredo vivenciado nesta terra que até pouco tempo atrás só existia em minha cabeça, pois, assim que se insere uma personagem que já vive em um ambiente imaginário o local também ganha cores, cheiros e sensações. Um mundo se cria!

Anúncios
LOCAIS: Mansedes

Um comentário sobre “LOCAIS: Mansedes

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s